Benutzereinstellungen

Neue Veranstaltungshinweise

Brazil/Guyana/Suriname/FGuiana

Es wurden keine neuen Veranstaltungshinweise in der letzten Woche veröffentlicht

Kommende Veranstaltungen

Brazil/Guyana/Suriname/FGuiana | Miscellaneous

Keine kommenden Veranstaltungen veröffentlicht

O Estado policial de ajuste avança, deste vez, contra estudantes e trabalhadores universitários

category brazil/guyana/suriname/fguiana | miscellaneous | opinião / análise author Samstag Oktober 27, 2018 05:52author by Coordenação Anarquista Brasileira - CAB Report this post to the editors

Na última semana e com mais intensidade no dia de hoje, Polícia Federal, Justiça Eleitoral, Ministério Público Eleitoral e Tribunais Regionais Eleitorais fizeram uma ofensiva contra a liberdade de expressão de norte a sul pelas Universidades brasileiras.
cab_26_oct.jpeg

Pelo estado do Rio Grande do Sul foram pelo menos três intervenções buscando censurar atividades em defesa da democracia e contra o avanço do fascismo, representado pelo chamado #EleNão: na UNISINOS-São Leopoldo (17/10), na UFRGS (23/10) e na UFFS-Erechim (25/10).

No estado do Rio de Janeiro a retirada arbitrária de uma bandeira antifascista da UFF (Niterói-RJ) pelo TRE-RJ. Relatos também apontam invasões à sedes sindicais (SEPE-RJ) e outras universidades, como UERJ, UniRio (Rio de Janeiro) e UCP (Petrópolis-RJ).

No estado do Pará, na UEPA, no campus de Igarapé Açu, um professor teve sua aula encerrada por policiais pelo simples fato de estar falando sobre fake news. E ainda tivemos militantes sociais detidos por realizar panfletagens e colar cartazes no centro de Belém.

Hoje ficou evidente que se trata de ações orquestradas da mesma sanha repressiva das instituições do Estado na UFJS (MG) e na seção sindical do ANDES-SN em Campina Grande (PB). UEPB, UFMG, Unilab (Palmares), Unilab-Fortaleza, UNEB (Serrinha-BA), UFU (Uberlandia-MG), UFGD e UFG.

Estas ações orquestradas têm como único intuito o de cercear o debate que vem sendo construído pelos movimentos sociais com o objetivo de barrar o avanço conservador de tendência protofascista. Com a desculpa "legal" de "evitar atividade eleitoral irregular", estas ações corroboram com o projeto que quer destruir os poucos direitos conquistados que temos, na base da proibição da ação da classe trabalhadora. Demonstram que a justiça burguesa estará sempre ao lado dos poderosos e sempre toma partido, nas disputas internas e contra os espaços de trabalhadores e estudantes.

Estudantes e trabalhadores de Universidades, especialmente, são o alvo da vez do que temos denominado Estado Policial de Ajuste que se impõe na cena a golpes de toga, pela exceção do ativismo jurídico-policial carniceiro e punitivista. Trata-se do uso dos mecanismos legais de viés autoritário gerados no interior do chamado "Estado de Direito" ao longo de todos esses anos, em todos os governos de turno depois da Constituição Federal. Portanto, não é à toa que juristas se reúnam para apoiar explicitamente a Jair Bolsonaro, como a assinatura do documento e ato que ocorreu em São Paulo com a presença dos setores mais reacionários da casta togada.

O mesmo Estado que para o povo pobre e negro nunca garantiu direitos, avança na direção de intervir politicamente na reta final das eleições, diminuindo cada vez mais o espaço de atuação pública, demonstrando, como as eleições ocorrem sob um ambiente fraudado que não se esgota nas urnas.

A Coordenação Anarquista Brasileira se solidariza com as e os militantes atingidos por mais este golpe nos direitos e desde já alerta para a importância de nos mantermos atentos e firmes para muito além das eleições. É tempo de resistir, se solidarizar e organizar desde as bases para enfrentar o ajuste e a repressão que seguem se aprofundando. Sem nenhuma fé nas instituições burguesas e na democracia do capital.

Precisamos nos organizar para além da defesa da democracia burguesa e construir a partir dos espaços classistas e dos/as de baixo, processos de resistência permanentes contra esses ataques.

Lutar contra o fascismo e a retirada de direitos!

This page can be viewed in
English Italiano Deutsch
#Nobastan3Causales: seguimos luchando por aborto libre en Chile

Hauptseite

[Colombia] Entre la crisis actual y las posibilidades latentes

Nota sobre o atual cenário da luta de classes no Brasil

Devrimci Anarşist Faaliyet: "The state’s project of eliminating revolutionary opposition hasn’t finished yet"

Μετά την καταστροφή τι;

Aufruf zur Demonstration am 2.9.2018 in Unterlüß "Rheinmetall entwaffnen – Krieg beginnt hier"

Mass protest in central and southern Iraq

Ecology in Democratic Confederalism

[Colombia] Perspectivas sobre la primera vuelta de las elecciones presidenciales de Colombia 2018

Call for Solidarity with our Russian Comrades!

8 reasons anarchists are voting Yes to Repeal the hated 8th

Comunicado de CGT sobre la Nakba, 70 años de dolores para el Pueblo Palestino

[ZAD] Les expulsions ont commencé, la zad appelle à se mobiliser

Assassinato Político, Terrorismo de Estado: Marielle Franco, Presente!

La Huelga General del 8 de Marzo, un hito histórico

A intervenção federal no Rio de Janeiro e o xadrez da classe dominante

Halklarla Savaşan Devletler Kaybedecek

Σχετικά με τον εμπρησμό

Ciao, Donato!

[Uruguay] Ante el homicidio de un militante sindical: Marcelo Silvera

[Argentina] Terrorista es el Estado: Comunicado ante el Informe Titulado "RAM"

[Catalunya] Continuisme o ruptura. Sobre les eleccions del 21D

Reconnaissance par Trump de Jérusalem comme capitale d'Israël : de l'huile sur le feu qui brûle la Palestine

Noi comunisti anarchici/libertari nella lotta di classe, nell'Europa del capitale

Luttons contre le harcèlement et toutes les violences patriarcales !

Brazil/Guyana/Suriname/FGuiana | Miscellaneous | pt

Sa 17 Nov, 16:47

browse text browse image

textNovo site do Arquivo Bakunin 01:50 Mi 17 Aug by Arquivo Bakunin 0 comments

Curta a página do Arquivo Bakunin: https://www.facebook.com/Arquivo-Bakunin-1088745281220411/

viacampesina2.jpg imageMulheres Em Ação, Eucalipto No Chão! 07:06 Sa 14 Mär by da redação 0 comments

Na madrugada de 8 para 9 de março mais de 600 mulheres do MST ocupam a fazenda Ana Paula na metade sul do estado do RGS (Brasil) para fazer ação direta contra a monocultura do eucalipto que invade a geografia do pampa. As árvores exóticas do agronegócio derrubadas pelo machado, a foice e o facão, formam os maiores investimentos dos capitais transnacionais que vem ao campo se associar com o latifúndio e se apropriar dos bens naturais para fazer produtos de exportação. As camponesas dispararam luta de massas no marco do dia da mulher trabalhadora para reivindicar sem mediações reforma agrária para produção de alimentos. Aqui entrevistamos duas companheiras libertárias: Lizandra e Gerusa vinculadas aos processos de luta e organização do MST e Via Campesina que nos falam mais dessa última jornada:

textA farsa do referendo 17:50 Di 11 Okt by Federação Anarquista Gaúcha 2 comments

Dizemos que este referendo é uma farsa. Queremos ter voz, sim. Mas não somos tontos, o governo não quer nossa participação real... Nossa participação conquistamos lutando.

imageA Nova República acabou: a esquerda ainda não ressurgiu e o fascismo de mercado insiste em protagoni... Okt 07 by BrunoL 0 comments

Quem se dedica à análise política do Brasil contemporâneo costuma se debruçar sobre os fatores da crise e a ruptura do pacto de classes que marcou o período lulista. Ao mesmo tempo há certo consenso em afirmar que a “Nova República” acabou e as bases constitucionais de 1988 estão sob um ataque direto. Simultaneamente, a crise de arrecadação dos níveis de governo, da quase falência – forçosa – do aparelho de Estado e o recente (nos últimos três anos) enxugamento das políticas públicas implica uma brutal concentração de renda, aumentando um fosso que já era abissal, embora atenuado pelo período de crescimento econômico sem desenvolvimento.

imageMoro condena Lula, a disputa pela agenda pré-2018 e o múltiplo conflito Jul 24 by BrunoL 0 comments

Introdução deste cenário complexo

O relatório na CCJ terminou reprovado por 40 a 25, com o governo emplacando o substitutivo por placar de 41 a 24. Considerando que o Jaburu trocou 20 membros ao longo da montagem da Comissão para apreciar a denúncia, então está parelha a coisa em plenário. Assim, durante o curto recesso do Congresso nesta segunda quinzena de julho, observamos as manobras de aproximação e afastamento entre Michel Temer e o deputado federal Rodrigo Maia (DEM/RJ). Simultaneamente, o racha da direita aumenta, com a base de Temer apontando as baterias contra a Globo e apoiando, tacitamente, a correta ofensiva da Record. No caminho inverso, o ex-secretário de Segurança de Quércia e Fleury Filho, é o alvo permanente da emissora líder. As razões – ou as possíveis motivações – constam de tese desenvolvida por Luis Nassif, a qual este analista corrobora. O alvo simultâneo do telejornalismo em rede nacional, aborda tanto o ex-presidente Lula e a condenação sem provas cabais por Sérgio Moro, como termina fazendo discurso de apoio às leis regressivas e retirada de direitos através da contrarreforma ou restauração burguesa levadas a cabo no Brasil pós-golpe. São rodadas múltiplas de um cenário que ultrapassa o binarismo.

imageA ex-esquerda caiu por sua derrota ideológica Jan 28 by BrunoL 0 comments

Afirmo de maneira categórica: A ex-esquerda sucumbiu por ignorância ou subestimação do conceito de ideologia e a consequência direta da falsa ideia de hegemonia na sociedade brasileira. Como também afirmo há tempos, chegando ao ponto da exaustão por repetição do conceito, não trato da hegemonia de tipo superficial ou rasteira, quando se entende – de maneira equivocada – “ter hegemonia” a simplesmente impor alguns nomes para certos cargos-chave em instituições importantes dentro de uma sociedade estruturalmente desigual. Isso não é hegemonia, talvez hegemonismo, velho vício das esquerdas encantadas com a tentação autoritária.

imageLutar e vencer fora das urnas. Okt 04 by FAG 0 comments

As mobilizações de massa da juventude que escreverem um pedaço da história recente do Brasil com as Jornadas de Junho ainda não tiveram um final. A explosão das ruas anunciada pelos estudantes-trabalhadores do regime flexível, sujeitos da rotina neurótica e estafante das grandes cidades, agravada pela deterioração dos serviços e dos bens públicos, não foi satisfeita. As urgências populares pela ampliação dos seus direitos continuarão em cena, são dramas brasileiros cotidianos, e ainda vão latejar muito. Terão que ganhar potência em organizações de base e com um federalismo que una as rebeldias e não se deixe capturar pelas instituições. Não serão as eleições e a oferta dos partidos da democracia burguesa que confortarão o mal-estar que provoca o sistema.

imageAberrações e caricaturas da ex-esquerda brasileira a partir do lulismo Sep 03 by BrunoL 0 comments

Bruno Lima Rocha, 02 de agosto de 2014

Neste breve texto, aponto três aberrações, duas sistêmicas e uma na forma de pessoa física, todas estas características da ex-esquerda outrora reformista. Hoje a legenda de Luiz Inácio, José Dirceu e José Genoino amarga uma eleição apertada e com reais chances de sair derrotada para uma dissidência personalista de si mesma.

more >>

textA farsa do referendo Okt 11 FAG 2 comments

Dizemos que este referendo é uma farsa. Queremos ter voz, sim. Mas não somos tontos, o governo não quer nossa participação real... Nossa participação conquistamos lutando.

© 2005-2018 Anarkismo.net. Unless otherwise stated by the author, all content is free for non-commercial reuse, reprint, and rebroadcast, on the net and elsewhere. Opinions are those of the contributors and are not necessarily endorsed by Anarkismo.net. [ Disclaimer | Privacy ]